Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Jornal Económico. Especial Agro-alimentar

João Gomes, Partner Corporate Finance e coordenador do centro de competências da agricultura. responde a algumas questões no especial do Jornal Económico Agro-alimentar: Inovação e Sustentabilidade.

Estão as empresas do setor preparadas para adotar os desafios inerentes à sustentabilidade? Qual é a importância?

As empresas do setor na sua maioria estão preparadas para adoptar os desafios que advêm da questão da sustentabilidade.

Obviamente, que existe uma pequena parte que terá mais dificuldade, contudo hoje o setor está resiliente e robusto, pronto a encarar todos os desafios que lhe sejam colocados. Prova disso, tem sido a capacidade demonstrada pelo setor para se adaptar à presente crise e conseguir transformar ameaças em oportunidades.

Também deveremos ter em atenção que o setor é dos mais interessados na gestão dos recursos naturais para a satisfação de necessidades presentes e ao mesmo tempo não comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras.

Como se posiciona Portugal e as empresas portuguesas deste setor na missão para a adoção de práticas mais sustentáveis?

Segundo o relatório da ONU, Portugal está entre os 30 países mais sustentáveis do mundo, ocupando o 26.º lugar em 126 países avaliados, o que significa que estamos num bom caminho.

A escolha por materiais ecológicos e o consumo de recursos naturais devem fazer parte dos objetivos primários das empresas agrícolas: a seleção de madeira em detrimento do plástico, a utilização de materiais reciclados e biodegradáveis e o uso de fertilizantes naturais. No entanto, o desperdício deve ser evitado independentemente da escolha do tipo de materiais, sobretudo no recurso insubstituível no ramo agrícola, a água.

A grande revolução deve estar no compromisso do consumidor pois é ele o pilar de todas as estratégias.

A Sustentabilidade deve começar pela cultura de um país.

Quais são os principais benefícios em adotar políticas mais inovadoras e amigas do ambiente?

Para o setor agrícola os principais benefícios são sem dúvida o assegurar dos recursos futuros e o impacto que tem dentro das próprias organizações e nos consumidores. Para os agricultores importa adoptar políticas que permitam gerir de forma equilibrada, inteligente e sustentável os recursos disponíveis, nomeadamente os recursos naturais, os quais são necessários para as satisfação das necessidades futuras, quer do agricultor como produtor, quer do consumidor.

Ora, esse mesmo consumidor está cada vez mais atento ao tema da sustentabilidade e do ambiente, pelo que as suas escolhas atuais de consumo tem sempre em atenção essa problemática, o que obviamente impacta o agricultor no seu negócio

Sobre o Centro de Competências da Agricultura

Com uma equipa multidisciplinar especializada no setor agrícola, o Centro de Competências da Agricultura da Moneris reúne a experiência no setor com a proficiência em cenários de gestão de crise.

Neste momento de dúvidas e incertezas, é fundamental desenvolver diagnósticos e um correto planeamento, para que empresas e organizações possam gerir, de forma adequada, os riscos inerentes à sua atuação no mercado, tomando as melhores decisões, focando-se no essencial: adaptação e sucesso.

Scroll to Top